No Maranhão, motociclista lideram casos de morte durante o trabalho no trânsito

No Maranhão, motociclistas lideram casos de morte durante o trabalho no trânsito. Os dados são de um do Ministério da Saúde com dados dos Sistemas de Informação de Agravo e Notificações (SINAN) e de Mortalidade (SIM).

O estudo apontou 117 óbitos dos trabalhadores em motos entre os anos de 2007 e 2016. Contando todos os tipos de transportes o Maranhão registrou 488 mortes no mesmo período. O número representa 23,59% do total de acidentes durante o trabalho.

Para chegar a esta constatação foram considerados os acidentes ocorridos quando o trabalhador tem uma função que envolve locomoção ou quando estava indo ou voltando do local de trabalho.

Em 11 anos, o número de notificações de acidentes de trânsito relacionados ao trabalho no Maranhão foi de 2.889. Em 2012 e 2016 ocorreram 510 e 407 notificações, respectivamente, e foram os períodos com maiores números em um único ano. Em 2017 os índices caíram 45,7% no estado, sendo registrados 221 acidentes.

Nordeste

Em toda a região Nordeste foram registradas 2.911 mortes, sendo 752 de motoristas de carros e 572 de motociclistas - as maiores vítimas. Em acidentes, a região foi a terceira com o maior número de registros.

Foram 19.226 acidentes entre os anos de 2007 e 2016, tendo picos em 2016 (com 3.058 acidentes) e 2015 (com 2.625 acidentes). Em 2017, houve redução de 48,2% nas notificações em comparação com o ano anterior, com 1.584 registros.

Dados G1