Família procura adolescente de 17 anos desaparecido em festa em Junco do Maranhão

Um adolescente de 17 anos está desaparecido desde o dia 16 de novembro. De acordo com informações, o adolescente José Jacinto da Conceição Filho foi visto pela última vez sendo retirado de uma festa em Junco do Maranhão. O jovem é natural do município de Maracaçumé.

A Polícia Militar (PM) informou que o adolescente foi suspeito de promover uma baderna na festa de aniversário da cidade e por isso foi retirado do local por três policiais, mas até o momento não retornou para casa e não foi levado para a Delegacia Regional de Zé Doca.

A família procurou a polícia da cidade, mas foi informada que naquela noite não havia ocorrido nenhuma prisão, pois assim que constataram que José Jacinto era menor de idade, os policiais o liberaram.

As informações dadas pelos policiais estão sendo apuradas, pois a família não acredita na versão e temem pelo pior. A mãe de José, Francisca Maria Pereira, conta que até o momento não recebeu notícias sobre o andamento das investigações. “Só falaram que eles iam fazer o trabalho deles, que iam localizar os policiais e até o momento não falaram nada para a gente. A gente só queria saber, pelo menos, o paradeiro dele que até agora a gente não sabe”, desabafou.Parentes e conhecidos foram as ruas para cobrar o esclarecimento e em uma das manifestações chegaram a bloquear um trecho da BR-316. Depois da manifestação, circulou uma informação de que José Jacinto estaria preso em Centro Novo, cidade que também fica próxima a Maracaçumé.

Um grupo de pessoas chegou a invadir a delegacia e no local foi encontrado um celular que a família afirma ser do rapaz. De acordo com a irmã do adolescente, Jardane Pereira, o aparelho foi retirado da delegacia. “Na mesma hora o delegado de Zé Doca veio e levaram o celular para fazer a perícia, mas até o momento ninguém deu respostas”, afirmou.

Por conta do tumulto que houve na delegacia de Centro Novo, duas pessoas acabaram presas e o delegado Regional de Zé Doca, Jader Alves, disse que estão sendo tomadas as providências para apurar o caso. “As pessoas estavam pensando que aquele celular seria do desaparecido, mas nós colhemos as declarações na presença da mãe e da irmã do José e o celular está sendo encaminhado para São Luís para devidas perícias para que seja decidido através do que os peritos concluírem”, contou.

A Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP/MA) enviou uma equipe com um delegado e investigadores para Maracaçumé para dar continuidade do caso e, já foram colhidos depoimentos dos parentes e de colegas do adolescente, junto as imagens feitas, que ajudarão na identificação dos policiais militares.