Prefeito de Bom Jardim é alvo de denúncias de desvios de recursos


O prefeito Francisco Araújo (PSDB) de Bom Jardim, está sendo alvo de denúncias de desvio de recursos na área da Educação. As denúncias são semelhantes às que levaram à cassação do mandato de Lidiane Leite, que ficou conhecida nas redes socais como "prefeita ostentação" por levar uma vida de luxo.

O Ministério Público do Maranhão (MP-MA) iniciou uma investigação, a partir de denúncias da comunidade, e constatou irregularidades no transporte escolar do município. O Promotor de Justiça, Fábio Santos Oliveira, diz que veículos paus de arara estão sendo utilizados no transporte de alunos e por falta de segurança acaba colocando em risco a vida deles. “As irregularidades encontradas pelo Ministério Público na prestação de serviços são gritantes. Nós vimos que veículos paus de arara chegava a transportar 50 alunos na carroceria colocando em grave risco a vida dos alunos”.Suspeitas de irregularidades em licitações de contrato do transporte escolar levaram o Ministério Público a mover Ações contra o Município e contra o prefeito Francisco Araújo, que teve os bens bloqueados por ordem da Justiça. 
O Promotor explica que após aprofundarem a apuração e observarem detalhes do contrato de prestação do serviço mais irregularidades foram encontradas.“Identificamos um grande esquema de beneficiamento de uma empresa chamada RL de Farias, na qual a Prefeitura de Bom Jardim fez com que essa empresa ganhasse três licitações, sendo uma de transporte escolar, uma de aluguel de veículo e outra de aquisição de veículos. O valor total é de aproximadamente de R$ 2 milhões”, contou o promotor Fábio Santos.

Os alunos que dependem do transporte público fazem muitas reclamações referentes a atrasos e falta de segurança. Como é o caso da estudante Maria de Lurdes que conta sobre as dificuldades que passa. “O ônibus é pequeno, metade dos alunos vão em pé. É arriscado acontecer algum tipo de acidente e alguém se machucar”, explicou.

Assim como Maria de Lurdes, os estudantes Agnaldo Abreu da Silva, de 20 anos, e Daniela Abreu da Silva, 18, falaram sobre as más condições das estradas e da distância que precisam percorrer para ter acesso ao ônibus escolar. “Seria bom se o ônibus viesse até nós. Ele veio só uma vez, aí não conseguiu por causa do caminho ruim e aí nós ficamos sofrendo vindo por esse caminho de poeira, chuva. Às vezes perdemos aula e a noite a gente vem andando no escuro”, contou a estudante Daniela.gnaldo conta que poucos são os que não desistem dos estudos, mas que ele não pretende desistir apesar das dificuldades. “Às vezes dá vontade de desistir, mas aí eu olho para os meus pais e lembro que não é bom desistir porque para viver bem no mundo como ele está hoje, a gente só consegue se for estudando”, relatou.

A Prefeitura de Bom Jardim disse que a atual situação do transporte escolar não tem envolvimento com a ação movida pelo Ministério Público em 2017 e que ao contrário das gestões passadas, a atual mantém o transporte dos estudantes funcionando durante o ano todo. 

Também afirmou que, apesar da Prefeitura possuir poucos recursos e depender apenas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) foram feitos os trabalhos de recuperação das rodovias e como Bom Jardim é um dos maiores municípios do Maranhão, não foi possível consertar todas as estradas. Sobre o atraso dos ônibus citados pelos estudantes, a Prefeitura disse que isso ocorreu apenas um dia por causa de um problema técnico. O fato do prefeito Francisco Araújo estar com os bens bloqueados não foi comentado.