Protagonismo feminino sobe com Detinha "SOFRO BOICOTES COVARDES DE HOMENS INSEGUROS" Disse a pré candidata ao relatar Os boicotes que tem passado nessa caminhada.


O MOTIVO? É PORQUE SOU MULHER?

Com pesquisa ou sem pesquisa, a única pré-candidata mulher à prefeitura de São Luís, segue firme neste propósito. As experiências acumuladas por dois mandatos de prefeita do município de Centro do Guilherme e no exercício do seu mandato de deputada estadual, ladeada pela força política incontestável do marido, o deputado federal Josimar Maranhãozinho (PL) e de várias outras lideranças estaduais, federais e municipais.A pré-candidata Detinha (PL), não se intimida pelos retaliações contra à sua pré-candidatura.

O sexismo na pré-campanha 

A parlamentar, pré-candidata à prefeitura de São Luís protestou contra o sexismo que excluiu o seu nome de uma pesquisa encomendada por adversários; segundo Detinha, uma mulher que representa uma potente ameaça eleitoral, é o motivo de só nomes masculinos terem sido divulgados pela pesquisa. Ela diz: “para nós, mulheres, a democracia não foi efetivada. Também não foi para as pessoas negras, para os indígenas e nem para os pobres. Tenho a sorte de ter ao meu lado como marido, um homem que apoia e respeita o meu protagonismo, mas mesmo assim, sinto na pele as minhas causas públicas, minimizadas por colegas homens, porque eu sou mulher. A sociedade precisa sim, ter conhecimento, que a única pré-candidata mulher à prefeitura de São Luís sofreu boicotes covardes, de homens inseguros”, declara Detinha.

O fator surpresa

As eleições de 2020 em São Luís, orquestrava pelos atuais detentores do poder, uma disputa cujo alvo seria o já testado nas urnas, Eduardo Braide (PMN). O fator supresa Detinha, tornou-se o pesadelo dos mentores do poder, que não contavam com uma candidatura interdependente lançada pelo PL de Josimar.

Se o plano “B” for o boicote à pré-candidatura de Detinha, este já fracassou. As estratégias arcaicas foram desbaratadas por um fator surpresa, com o qual não se contava, e tinhoso como é o casalzão Detinha/Josimar, o atual conjuntura é de fato preocupante para quem não aceita a transitoriedade do poder. De acordo com presidente do PL, Josimar Maranhãozinho, “nossos pleitos tem fundamento, temos nomes e um povo a zelar e não viemos para brincar, levamos muito à sério a nossa missão e o povo que em nós confia”, afirma Josimar.

De moça do interior à protagonista na política 

De origem humilde, cristã, com vocação para ser mãe e esposa, porém com a inquietação das causas públicas dentro de si, Detinha surge na política como a parte que faltava a Josimar Maranhãozinho. Sobre a esposa, ele diz: “dizem que atrás de todo grande homem existe uma grande mulher, pois eu digo que é ao lado e muitas vezes na frente, pois Detinha me surpreende, me ensina e me ajusta às suas causas”.

A parte que faltava a Josimar, estendeu o seu carisma, competência administrativa e protagonismo político ao Maranhão, tornando-se parte que acrescenta. Na individualidade podem muito e juntos podem mais. “Nós, mulheres, vivemos a participação política como uma luta de resistência. Contamos com uma cota de participação meia boca que não nos dá acesso. A maioria do eleitorado mulher, tem 10% de sub-representação, então, paridade já! Precisamos denunciar as interdições que o sistema impõe à nossa participação e eu convoco a população de São Luís a vir comigo. Não é uma pesquisa forjada, ou homens que não se garantem, que irão me deter”, garante a confirmada pré-candidata, Detinha.

(Dalva Lemos Revista CARAS E NOMES)